Aprenda mais sobre GeneXus
Armin Bachmann |
5 Min.

Tudo o que você precisa saber sobre Genexus 17 Low-Code (parte 3 | Missão crítica)

Os sistemas de missão crítica apresentam desafios relacionados à escalabilidade, confiabilidade, segurança e privacidade das informações.

Missão crítica
é um dos quatro pilares que constituem a base da GeneXus 17, e é o tema que abordarei neste post.

Caso ainda não os tenha lido, estes são os outros três artigos que abordam os pilares de GeneXus:

Tudo o que você precisa saber sobre GeneXus 17 (parte 1 | Design & multi-experiência)

Tudo o que você precisa saber sobre GeneXus 17 (parte 2 | Integration & evolution)

Tudo o que você precisa saber sobre GeneXus 17 (parte 4 | Expanded DevOps)

Desde o início, GeneXus foi especialmente desenhado para criar soluções de missão crítica. E também colocamos ênfase nisso em 2021, porque para criar este tipo de soluções não só são necessárias muitas ferramentas, mas também gerar para múltiplas plataformas, implantar em múltiplas tecnologias e integrar toda esta solução com múltiplas outras soluções e tecnologias.

Nesse sentido, trabalhamos fundamentalmente em dois pontos: O primeiro é um aspecto central que diz respeito a cada um dos componentes de sua solução, que é a segurança
. E em segundo lugar, temos trabalhado para apoiar e facilitar a evolução
das arquiteturas de sistemas.

Sistemas de Missão Crítica e Segurança

No primeiro ponto, o da segurança, é um trabalho constante melhorar a qualidade do código gerado nas bibliotecas que disponibilizamos junto com esse código gerado.

Além de nossas bibliotecas, também atualizamos bibliotecas de terceiros. Se estiverem alinhados com a última versão de GeneXus, obterão esses benefícios de máxima segurança em suas soluções.

E com respeito a GeneXus Access Manager (GAM)
, nosso componente central com o qual pode modelar a segurança de sua solução, acrescentamos facilidades para que seus usuários não tenham que memorizar as senhas. Estamos presentes junto com as tendências mundiais em segurança, disponibilizando facilidades para
One Time Password (OTP) e também garantindo ainda mais suas soluções com autenticação de multifatores (2FA).

Por outro lado, e dando facilidades para fornecer segurança quando estamos em cenários de microsserviços
, adicionamos suporte para protocolos específicos para a segurança de serviços como SSO Rest e Secure Service Token.

Quanto aos provedores de identidade
, se você tem um provedor de identidade em sua empresa para as diferentes soluções e esse provedor de identidade também é gerado com GeneXus, agora você pode delegar a identidade a um terceiro; para que não tenham que hospedar as senhas de seus usuários, mas sim delegá-las, seja no Google, LinkedIn ou outros provedores.

E por falar em Identity Providers
, adicionamos suporte para um novo protocolo para esses provedores e entidades: Open ID Connect
. E com isso completamos a gama de protocolos mais utilizados no mundo para integração com provedores, o que nos dá uma ampla gama de provedores para integrar em soluções GeneXus.

Continuando com a questão da segurança, incluímos no IDE GeneXus o novo Security Scanner
, uma ferramenta que permite uma análise estática do código, que permite executá-lo em suas bases de conhecimento, analisar o código que você escreve e já inspeciona. uma forma de riscos de segurança iniciais que um aplicativo abriga. Este Security Scanner pode ser utilizado no IDE, e também dentro do processo DevOps, ou seja, dentro das linhas de integração contínua
, automatizando também esta parte da segurança e cuidando da evolução segura do seu sistema.

Visto que a segurança de aplicativos é cada vez mais importante e existem ferramentas para fortalecê-la ou para ajudar a detectar possíveis vulnerabilidades, convido você a se aprofundar nesses processos com estes vídeos:


DevSecOps: Redefinindo as bases da segurança com a Análise Estática do Código


2FA, senha de uso único, OpenID: Tudo sobre os nvos esquemas de autenticação

Evolução das arquiteturas dos sistemas

Vamos agora falar sobre a arquitetura de suas soluções e as melhorias que temos com GeneXus 17 para que possam evoluir seus sistemas e arquiteturas.

Nós mesmos vivemos essa necessidade no projeto Coronavirus. Primeiro, tivemos que implantar uma primeira solução em alguns dias e fizemos isso em um monólito. Então, em mais algumas semanas, o sistema cresceu e precisamos mudar para um esquema de minisserviços. Por que? Porque queríamos implantar diferentes componentes em momentos diferentes. Finalmente, este ano, com os novos requisitos em torno dos sistemas de vacinação, adicionamos toda essa parte a este sistema e este módulo era na verdade baseado em um esquema de microsserviços
.

Evoluir as arquiteturas à medida que os sistemas evoluem é uma necessidade, por isso, em GeneXus decidimos proporcionar maiores facilidades para garantir o sucesso das aplicações de Missão Crítica.

Nestes vídeos:
Criação de Aplicativos de Missão Crítica

e
Modelagem de Arquiteturas Complexas e Sistemas de Missão Crítica com GeneXus

, este e outros pontos chave são abordados.

Você também pode estar interessado em ver estes sites e artigos:

GAM

Security Scanner

Como GeneXus pode ajudá-lo com Low-Code?

One response to “Tudo o que você precisa saber sobre Genexus 17 Low-Code (parte 3 | Missão crítica)”

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Voltar ao início
%d bloggers like this: